A estratégia da catástrofe

Segue-se uma exemplificação duma modelagem da DEPRESSÃO

1. Culpe-se a si mesmo. É sempre, mesmo sempre, culpa sua!

2. Mesmo que o mundo à sua volta não seja bom, é sempre melhor que você.

3. Repita indefinidamente a si mesmo que tudo o que lhe acontece é o resultado da pessoa que você É (= da sua identidade) e nunca o resultado do que você faz (= nem do seu comportamento nem das suas capacidades). Se calhar é mesmo tudo o que lhe acontece o resultado das gerações ou vidas passadas e não há mesmo nada a fazer.

4. Pense que as coisas sempre serão assim, nada mudará. Faça o que fizer não faz a mínima diferença. Tudo o que fizer afectará da mesma forma o seu futuro.

5. Se alguma coisa correr bem diga a si mesmo que se trata dum resultado da sorte, não tem nada a ver com possibilidades ou recursos da sua parte. Mesmo nada. Isto é mesmo essencial.

6. Se o que você fez e que o acaso quis que resultasse, é sempre mérito de outros, nunca seu. Deixe que os outros recebam o prémio.

7. Se algo estiver a resultar mesmo, lembre-se de repetir a si mesmo que tais resultados não durarão por muito tempo. E sobretudo creia de todo o seu coração, que qualquer resultado positivo, seja ele qual for, não melhorá em nada o seu futuro nem o futuro do mundo.

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *