A Técnica de PNL “O Ovo da Páscoa”

Trata-se de uma técnica que emprega os sistemas de representação visual, auditivo digital e cinestésico, só já por isso bastante efectiva devido ao uso conjunto dos diversos sistemas sensoriais.

Antes de fazer um exercício de PNL é muitas vezes aconselhável conhecer primeiro o exercício nas suas grandes linhas. Depois leia então o exercício passo a passo e só leia o passo seguinte depois de ter efectuado o anterior.

Escolha um lugar sem interrupções exteriores e em que possa sentir-se confortável.

1. Suponhamos que recebe um ovo de Páscoa com um presente escondido. É a prenda que mais desejaria receber neste momento. Imagine a prenda, o que sente, o que se ouve dizer a si-mesmo, o que os outros lhe dizem… Há até quem cheire, prove e ouça um som especial relacionado com a prenda.

2. Pergunte-se: – É esta mesma a prenda que estou precisando neste momento? A que definitivamente me trará tranquilidade e que vai ao encontro daquilo que sinto profundamente como a minha razão de ser?

3. Agora suponha que existe um mago distribuidor de ovos de Páscoa, mas um mago que conhece aquilo que você sente intuitivamente como mais significativo na sua vida. O que é que ele meteria no ovo como prenda para si?

4. Considere: – a visão que você tem sobre si e a visão do mago correspondem uma com a outra? O que pode aprender desta comparação?

5. Se quiser relembre este exercício nos próximos dias cada vez que for confrontado com um ovo de Páscoa. E deixe-se espantar com os presentes, sejam eles quais forem.

As Páscoas repetem-se e renovam-se com significados milenários. E o nosso mago não nos informará sobre onde estaremos na próxima Páscoa.

3 comentários

  • Excelente exercicio, apesar de eu revelar sempre o mesmo problema quando os realizo, nao consigo visualizar,sentir e ouvir nitidamente. Talvez deva estar mais concentrado,mas quando o faço tenho uma voz interior que me tenta destabilizar,o que faz com que por vezes nao consiga fazer os exercicios. Que soluçao existe para combater este fenomeno?

    André Responder
  • 1º – Não lute contra essa voz, não tente mandá-la embora. Quanto mais o fizer mais forte ela se tornará;
    2º – Estabeleça uma relação de empatia com a voz, uma parceria, e um diálogo mais ou menos assim: – já que estás aí, dá uma ajudinha…
    3º – Se ela resistir, pergunte-lhe amigavelmente o que deseja, a que condição deve obedecer para que ela coopere.
    4º – Dê-lhe tempo e evite esforços. Quanto mais se esforça, menos resultados tem: “onde meti a chave”? Só encontra a resposta quando desistir de se esforçar.
    5º – Se não conseguir resultado nenhum, imagine a voz a cantar ópera ou coisa semelhante. Exagere e vai ver que ela, se calhar,desiste.
    6º – Não é provável encontrar uma imagem interna com a mesma nitidez que uma imagem externa. Felizmente! Se não, não conseguiria distinguir as suas representações mentais com as do mundo exterior.
    7º – Muitas pessoas não vêm propriamente imagens, nem ouvem sons, nem têm as sensações a que nós damos esses significados. Este conceito que vou empregar não sei se existe, mas eu chamar-lhe-ia mais corretamente uma “intuição visual, auditiva ou cinestésica”.
    8º – Tudo isto são fenómenos naturais. E quanto mais combatemos mais perderemos a guerra. A única forma de ouvir a “voz” relevante é desertar do combate.
    9º – Cada vez que nos preocupamos, associamo-nos: a luta continua! Ao sairmos da guerra, podemos observá-la: e assim atingimos um nível superior de entendimento.

    José Figueira

    José Figueira Responder
  • Pingback: O coelho da Páscoa e o modelo de “partes” em PNL | PNL- Portugal

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *