Aonde quer que eu vá

Sabe uma coisa? Quando se pensa nisso, para onde quer que se vá, já se está lá.
Seja o que for que decidir fazer, foi o que decidiu fazer.
Seja o que for que esteja a pensar agora mesmo, é isso que está na sua mente.
Seja o que for que lhe tenha acontecido, já aconteceu.
A pergunta importante é: como é que vai lidar com isso? Por outras palavras, “Então, e agora?”

… quando a nuvem do esquecimento se instala sobre onde estamos agora, nesse preciso momento, sentimo-nos perdidos… (… quero dizer, termos perdido temporariamente o contacto connosco mesmos e com a extensão total das nossas possibilidades. Em vez disso, caímos numa forma de ver, pensar e fazer, de tipo robô…) … “Então e agora?” torna-se um verdadeiro problema.

… temos de fazer uma pausa na nossa experiência durante o tempo suficiente para permitir que o tempo presente se instale; o tempo suficiente para na verdade sentirmos o momento presente… Só então poderemos aceitar a verdade deste momento da nossa vida, aprender com ele e prosseguir…

Vamos precisar de estar mais atentos e tomar precauções contra a força incrível de Cila e Caríbides do passado e do futuro, e o mundo de sonhos que nos oferecem em vez das nossas vidas…

Jon Kabat-Zinn

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *