Axioma

O axioma atrás de todos os axiomas em PNL é, segundo o que percebo, este:

– Cada um é a fonte da sua própria desgraça ou da sua felicidade. Não são os outros nem qualquer condição adversa que estão na origem. Somos sempre nós que fabricamos a nossa forma de sentir, agir e reagir.

Como é que cada um faz isso? Dando a sua própria interpretação ao que lhe acontece e continuando pela vida fora reinterpretando as memórias.

Uma memória é o resultado de acontecimentos mais interpretação, o que tudo somado dá origem a acontecimentos imaginados. Sejamos por agora um pouco constuctivistas radicais:
– Qualquer memória e qualquer acontecimento são “imaginação” assim como qualquer ideia que possamos ter sobre nós próprios.
A PNL é o estudo de como nos imaginamos, como imaginamos os outros, como imaginamos o mundo.

Onde é que estão as boas notícias?
No facto de que cada um é o autor da sua própria vida. A qualidade de vida reside na qualidade da imaginação. Torna-se então interessante conhecer o funcionamento das variáveis responsáveis pela imaginação e como podemos influenciá-las.
Este é o tema do meu workshop de três horas: “PNL e Qualidade de Vida”.

(E claro que tudo o que possamos conhecer de nós nunca somos nós mas é sempre imaginação sobre nós e sobre como nós funcionamos. Então há que ter cuidado em não nos metermos numa grande embrulhada. E é aí que surge a ecologia – em tudo o que fazemos ter em atenção constante o equilíbrio do sistema: quando só há uma voz interior muito subtil e agradável que nos fala quando todas as outras vozes se calam, então muito possivelmente estamos no bom caminho ao encontro da Paz. E não é quando calamos as outras vozes, é quando as outras vozes se calam realmente. Se calhar até não há voz nenhuma. E talvez então haja Qualidade de Vida.)

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *