Fazer “como se”, ferramentas para coaching

Há em PNL 4 métodos para aceder a recursos.

1. O primeiro e o mais clássico é atualizar uma memória em que utilizou os recursos desejados, associar-se a eles e trazê-los à situação em que os não está a utilizar.

2. O segundo método é a chamada “modelagem”. Imagine alguém que admira e possui esses recursos e transforme a imagem de esse alguém na sua própria imagem agora de posse das qualidades de que precisa.

3. O terceiro método é o uso de metáforas tais como anjos, espíritos, deuses, antepassados ou simplesmente mandalas ou qualquer outro símbolo que possui esses recursos e o apoia no caminho da vida e na situação que precisa.

4. O quarto, o mais simples e extraordinariamente poderoso para ultrapassar qualquer tipo de limitação, é o chamado frame “fazer de conta”. Em coaching e terapia pedimos ao cliente para agir como se o objetivo estivesse já atingido.
Primeiro pede-se ao cliente para exprimir a convicção limitadora ou traço de caráter desajustado e depois desafia-se a convicção ou traço de caráter, de forma respeitosa, por exemplo assim:
– Imagine que tratou todas as questões em relação ao aspeto limitador, o que aconteceria se já conseguisse X?
Qualquer objeção é tratada da mesma maneira:
-Imagine que esta objeção está tratada, quais são então as suas reações, agora?

Este frame que todos nós usámos na infância como base para aprendizagem, fundamentado agora cientificamente pela neurociência, está a ser empregue com extraordionário sucesso em liderança, no ensino, no desporto, no campo da realização pessoal, etc.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *