Introdução às pedras básicas do mundo social

A nossa relação com o mundo e os nossos sentimentos em relação ao mundo são determinados pela maneira como nos representamos o mundo. Isto é basal em PNL.
As representações que nos fazemos de nós e dos outros chamam-se no Panorama Social “personificações”. (Transformar as relações connosco e com os outros é uma questão de transformar as personificações respectivas).

No fundo as relações que temos são relações com personificações. Não há grande diferença entre as relações virtuais e as relações que as pessoas têm umas com as outras!

Podemos “personificar” tudo, falamos do nosso carro, do cão, duma cama, duma casa, como se fossem seres humanos e isso provoca sentimentos.

Lucas Derks, o autor do Panorama Social, conta:
“ O meu amigo Theo disse-me ultimamente: – Tenho uma relação muito chegada com o meu Mac!”
Ora é mesmo muito fácil personificar um computador:

A personificação do computador

1. Dê um nome ao computador. Theo chama em segredo ao seu Mac Intosch: – Maggie!
2. Visualize a Maggie. Se quer ter um laço bem íntimo com Maggie, deve localizar a imagem a pouca distância – de tal forma que ninguém possa intrometer-se entre si e Maggie.
3. Imagine agora tudo aquilo do que o computador é capaz. Capacidades Ilimitadas!
4. Ponha-se no lugar do computador. Introduza-se por assim dizer dentro da residência do computador e faça uma ideia do que computador quer, o que ele sente, como é que o computador se vê a si mesmo. Desde o momento em que ligou o computador à internet Theo deixou de duvidar das capacidades de enlace espiritual do aparelho.
5. Mantenha-se ainda dentro do computador e atribua-lhe também “emoções sociais”. O meu amigo Theo escolheu para este objectivo uma sensação quente e sensual. Quando se põe no lugar de Maggie o aparelho sente-se muito particularmente atraído pelo seu utilizador – por Theo.

Felizmente que há neste caso amor de parte a parte

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *