O novo papel do professor

Uma pergunta que se pode fazer é se, em muitas disciplinas, ainda há necessidade de um professor como instrutor tradicional, canal de distribuição do conhecimento. Programas de computador para transmitir e treinar conhecimento podem, cada vez mais, ser superiores aos professores mais competentes.

Nota-se sim uma crescente necessidade de coaching. Um coach ajuda o individuo ou equipa a definir devidamente resultados, assim como inspira e guia no caminho activando e desenvolvendo os recursos presentes nas crianças, nos alunos, nos formandos, nos estudantes. Claro que esta tarefa seria facilitada numa sociedade saudável. Mas seguindo a maneira de pensar em PNL, não podemos deitar as culpas ao “sistema” como justificação para não podermos realizar um ensino mais adequado ao desenvolvimento dos alunos.

Um formador, um terapeuta, um coach, um professor, é uma espécie de transmissor de “Luz” e a sua missão é a sua contribuição para uma sociedade mais perfeita. Não se pode, no meu entender, ser professor, formador, coach, terapeuta… sem um sentido de Missão. O sentido de Missão é, aliás, essencial para qualquer vida plena de significado, no ensino ou fora dele, mas talvez que no ensino seja ainda muito mais importante.

É bom sentirmo-nos responsáveis perante as gerações futuras. Está nas mãos de cada um de nós dedicar a sua criatividade e os seus esforços para a construção de uma sociedade mais justa em que a felicidade de todos seja um alicerce e cada criança possa desenvolver ao máximo as suas potencialidades e realizar os seus sonhos, celebrando a Vida

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *