Sistema planetário interior

Qual é o grande problema na educação e em psicoterapia?

-É que as pessoas já sabem coisas.

Resistência a novas ideias ocorre porque o nosso cérebro se protege contra coisas sem sentido. O cérebro acredita que crenças antigas têm sentido, têm mais valor que novas crenças.

Ora quando um psicoterapeuta apresenta novas ideias como se elas fossem velhas, como se já existissem há muito, então o cérebro engole-as facilmente.

Os mitos religiosos continuam dominando nos sistemas de crenças das pessoas, precisamente porque o cérebro os considera como antigos.
Verdades velhas bloqueiam metafórica e literalmente o desenvolvimento. Protegem a cultura e mantêm o indivíduo encerrado no seu modelo do mundo.

(Textos exibidos durante a apresentação do último romance de ficção científica de Lucas Derks, “O sistema Planetário interior”, tendo como base o Panorama Social)

1 comentário

  • Este tema levanta-me algumas dificuldades…
    Como é que sabemos que o cérebro, ao proteger-se contra ideias sem sentido, reage às ideias novas?
    É facto que as ideias novas oferecem geralmente resistências…
    Mas será por causa do sentido (ou da falta dele)?
    Tal pressupõe que as coisas novas carecem de sentido.
    Ainda que se admita que um sentido ainda não apreendido se apresente como sem sentido, a simples resistência do cérebro por não conhecer ainda o sentido implica um bloqueio do novo como defesa?
    Talvez…
    Sabemos que muita gente assim procede.
    Mas será uma questão cerebral ou um modelo de funcionamento?
    Será um modo de ser do cérebro ou um metamodelo cultural absolutamente condicionante, protetor e, por isso, limitador?

    António Miranda da Mota Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *