Técnicas de PNL e o tema AUTO-DELEGAR

Este é um dos princípios básicos em PNL …

toda a aprendizagem e transformação
ocorrem a nível inconsciente

Qualquer técnica é executada com o cliente num transe leve, o que tem precisamente como fim, evitar o mais possível que a mente consciente se intrometa. Isto é sobretudo notório sempre que se faça um trabalho de “partes”, um modelo em PNL que se refere a aspectos do inconsciente que se manifestam fora do nosso controlo, como o irritado, o perfeccionista, o culpado, o deprimido… etc. O termo “partes” também é usado para definir o pai, o especialista, a criança interior, o severo, o professor em nós, o anjo da guarda, etc.

Podem procurar-se então outras “partes”, plenas de recursos mais positivos, que aconselhem e ofereçam recursos às partes mais necessitadas. A transformação só terá lugar se oferecer maiores perspectivas que o comportamento ou as emoções antigas, e se se integrar de forma harmoniosa com todo o sistema do indivíduo. Ora este sistema é demasiado complicado para ser abarcado pela mente consciente. Há que criar espaço interior para a resolução de problemas. A mente racional consciente aponta uma direcção, faz uma pergunta, pede uma solução. A partir desse momento toda a sabedoria do inconsciente entra em acção e pode oferecer à mente consciente a surpresa de um desenredo, tal como quando tomamos consciência da solução de um problema intrincado resolvido durante o sono.

Este processo na dinâmica da relação consciente e inconsciente é, talvez, o aspecto mais interessante nesta metodologia. Leva-nos a uma tomada de consciência cada vez mais profunda do nosso funcionamento, tira-nos da “cabeça” ao encontro de uma vivência cada vez maior da nossa plenitude. Empregando linguagem metafórica: “corpo” e “alma”, de mãos dadas, passeiam pelo mundo maravilhando-se com o mistério da vida.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *