Diário de um practitioner

Segue-se uma descrição do nosso Practitioner. Não se trata de uma descrição programática, a qual se pode ler noutro local neste site.  Trata-se das revelações, dos insights, dos princípios e das mudanças que caracterizam especificamente os nossos cursos: a caminho do “CERNE” em nós. Trata-se de Desenvolvimento Pessoal, no quadro maior do nosso Significado de Vida,  a caminho da Liberdade, da Paz e de uma vida ainda mais feliz. 

1º dia
Hoje foi o primeiro dos 16 dias mágicos do practitioner intensivo. Como método direcionado a resultados, começou-se com objetivos. Nos nossos cursos os objetivos são tratados dentro do quadro global dos significados maiores que damos à vida.

2º dia
Neste segundo dia aprofundámos os dois modelos que estão na base de todo o nosso practitioner. O primeiro modelo tem a ver com a nossa relação com o mundo: como transformamos e reagimos à informação que nos chega; o segundo modelo revela-nos os níveis de mudança, desde simples comportamentos a mudanças radicais de identidade que vão para além de um “eu” escrito com letra pequena. Estes níveis de comunicação, mudança e aprendizagem, relacionados com os 4 níveis de aprendizagem de Bateson levam do “comportamento” ao “despertar” e estão relacionados com a complexidade hierárquica do nosso sistema nervoso.

3º dia
Depois de termos compreendido ainda melhor como representamos o mundo na nossa mente, tomámos hoje uma maior consciência de como passamos muitas vezes ao lado da vida. Para isso empregámos algumas horas apurando os nossos sentidos para melhorar a nossa comunicação e vivenciar o mundo à nossa volta com maior intensidade.

4º dia
Ainda estamos no princípio do curso mas já temos à nossa disposição, neste quarto dia do practitioner, os segredos para lidar com qualquer situação desconfortável na nossa vida. Hoje aprendemos a manusear as pedras básicas do nosso pensamento para nos abrirmos a novas possibilidades e criarmos na nossa mente as condições para sermos mais felizes. O princípio é simples: – atualize uma vivência de recursos e sobreponha-a à situação desconfortável que quer transformar!

5º dia
Antes de entrarmos, de forma prática, no mundo mágico da linguagem, tornámo-nos hoje ainda mais conscientes da forma como apreendemos o mundo em termos de categorias (chunks) e as consequências que isso tem na nossa vida! Muitas pessoas são determinadas pelas coisas ao nível do detalhe sem se aperceberem dos múltiplos significados “meta” que se escondem por detrás dos aspetos visíveis da vida.

6º dia
Hoje sim, neste sexto dia do practitioner, tornou-se claro o que significa a “estrutura da magia”, a primeira obra específica da PNL e que trata de linguagem verbal. Como o “inferno” e o “paraíso” podem estar tão perto de nós como resultado da linguagem que empregamos! E como sair deste “inferno” cuidando do nosso jardim interior (da linguagem), impedindo os “vírus” e as “ervas daninhas” de crescer… e como os padrões linguísticos hipnóticos de Milton Erickson fazem despertar os recursos adormecidos em nós! Hoje foi um dia dos mais mágicos.

7º dia
Não se pode dizer que tudo o que parece não é. Claro que é, mas por detrás daquilo que se nos apresenta há uma verdade maior. É na linguagem simbólica, na metáfora, que se encontra o significado da nossa vida, um desejo escondido para reencontrar o “lar”, o nosso centro, voltar a casa e Ser-se o que se já É.

8º dia
Como é possível? Carregar num “botão” e entrar num estado desejado de novas possibilidades? Foi o que hoje praticámos. E neutralizar com um simples toque uma emoção negativa que há tempos nos incomoda? E enriquecer até a nossa história pessoal levando “informação mágica” ao passado para abrir novas possibilidades para o futuro? E a noite foi uma daquelas noites mais impressionantes: – como atravessar os possíveis impedimentos da vida em nano segundos empregando uma metáfora usada no karaté?

9º dia
Hoje, à volta do tema da perceção, foi o dia em que percebemos como perdemos diariamente tanta informação presente nos nossos contactos diários e como chegar à infinita informação em cada um dos nossos encontros. E que em absoluto não existem verdades, tudo depende das premissas, do espaço, do tempo, do significado. E hoje foi ainda mais especial que os dias especiais, hoje tomámos uma maior consciência do nosso impacto e da impressão que deixamos no outro, algo imprescindível, a partir de agora, para a nossa comunicação em público.

10º dia
Vimos e compreendemos o que são realmente os nossos programas mentais e a sua estrutura: – como fazemos para atingir o que queremos? E mais importante foi hoje a descoberta dos nossos motores mais profundos e a maneira como estes motores dirigem as nossas estratégias, sensações e os nossos atos. O que é verdadeiramente importante para nós, valores por detrás de valores de que não estávamos conscientes, e como surgiu essa importância? Porque faço o que faço e, para atingir o que quero, faço-o “brincando” ou de forma “stressada”? De onde surgem os nossos valores? E as implicações das emoções vividas na infância traduzidas nas memórias que estão na base dos valores?

11º dia
Não tem fim esta viagem ao fundo de nós? Quem sou eu? Ou melhor: Quem sou EU no meio de tantos “Eus”? E como lidar com esta confusão e luta entre os Eus? Hoje foi, para muitos, o primeiro dia na unificação das identidades contraditórias dentro de nós. E aprendemos a lidar com cada uma delas, com as “sombras”, os nossos “demónios” internos… aprendemos a amá-los, a cuidar deles, a ajudá-los a encontrar novas formas para realizarem o NOSSO significado de vida e que é comum a todas as partes de nós: – um significado altamente positivo como objetivo de todas as “sombras”…

12º dia
Viajámos no tempo, longe na direção do passado. Aprendemos coisas dos nossos tempos longínquos que ainda não tínhamos aprendido. Libertámo-nos assim de emoções que nos estavam a fazer prisioneiros. Demos de beber a uma criança sequiosa e necessitada. Na azáfama da vida, na luta por vezes stressante pela sobrevivência, em tanta atenção que damos aos outros, esquecemos de dar a beber à pessoa mais sedenta do mundo, nós mesmos.

13º dia
Como pôr em prática no mundo o que aprendi para que os outros possam usufruir também e deixar no mundo uma marca, um sorriso, um carinho? Hoje treinámos a estrutura de uma intervenção um-a-um que pode ser aplicada em coaching, terapia, ensino, formação e liderança ou simplesmente para ajudar um amigo. E celebrámos a aprendizagem, a transformação, a partilha, o encontro, o novo dia das nossas vidas.

14º dia
Quando julgávamos que tínhamos chegado ao fim fomos confrontados ainda com os recursos considerados dos mais poderosos em PNL, os estados essenciais de Ser. E depois despedimo-nos de uma ou outra ligação limitadora ao passado e instalámos o futuro na nossa Linha do Tempo. E integrámos estes 14 dias no nosso corpo, nos nossos neurónios, fazendo um passeio que nos levou do mundo exterior aos picos dos significados últimos da nossa vida!

15º e 16º dia
Foram dois dias estonteantes. Se ainda havia aqui e ali alguma confusão, conceitos que se não ajustavam, partes de nós não esclarecidas, as avaliações dissiparam todas as nuvens das nossas dúvidas e inquietações. Entrámos numa nova fase de crescimento e consciência.

… Que a estrada se erga para ir ao seu encontro.
Que o vento esteja sempre nas suas costas.
Que o sol brilhe e aqueça o seu rosto
e as chuvas caiam suavemente nos seus campos…
(bênção irlandesa)

José Figueira

VER PROGRAMA OFICIAL AQUI

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *