Feliz Ano Novo!

Tempo para planos, tempo de nomear os desejos para 2018.
Se pode aparentemente ser fácil delinear desejos, na prática parece ser mais difícil realizá-los. Na maioria das vezes, até já passada uma semana, os desejos estão esquecidos.
A questão é se os desejos estabelecidos se coadunam com a nossa autoimagem, se são autoimposições de uma parte de nós ou são expressões manipulados pelo exterior. Quando se vai a um Coach ou Pracitioner de PNL e ele pergunta qual é o nosso objetivo, temos experiência de como é difícil dar uma resposta. É natural que a grande maioria das pessoas não saiba verdadeiramente o que quer. Somos fruto de experiências contraditórias com morais contraditórias constituindo partes muitas vezes em conflito.
Não haverá então uma forma de conhecer verdadeiramente o que quero? Para isso é necessário eu saber “quem sou” verdadeiramente. E isso é um processo de autoconsciência que pode levar o seu tempo.
De qualquer forma pode tentar já. Dê a si próprio a autorização de se libertar de tudo o que aprendeu e a que está ligado e responda: – o que é que eu mais desejo fazer da minha vida?
Deixe a resposta emergir e meça o seu grau de motivação de 0 a 10, a 3 níveis: ao nível da cabeça, ao nível do coração, e ao nível do abdomen. O que diz cada um deles?
A partir daí pode operacionalizar os seus desejos para 2018. Aumentou assim, talvez, as suas possibilidades de êxito.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.